Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


13103312_704834222992774_759727748962359437_n.jpg

És especial quando acordas de manhã e me olhas com o espanto de quem me descobre todos os dias. És especial quando páras para observar cada flor, para apanhar cada pedrinha, para fazeres de cada ramo varinhas de condão. És especial quando dialogas contigo mesma, quando sais de ti e te tranformas numa vendedora e numa freguesa, numa princesa e num dragão, numa mocinha e num vilão, numa menina real e nas meninas que habitam todas na tua imaginação. És especial quando te aninhas no meu colo para adormeceres. És especial quando de saia rodada vestida giras sob o teu próprio corpo num movimento egocêntrico de rotação. 

És especial quando agarras em cerejas e as transformas em brincos, quando ficas com a boca suja de morangos no Verão, quando aqueces as mãos a segurar um cartucho de castanhas quentinhas no Outono e quando sorris em dias de chuva porque há poucas coisas mais divertidas que calçar as botas de borracha e pular em poças. És especial porque falas muito, perguntas tudo, concluis tudo o resto e és a pessoa mais perspicaz que conheço. És especial quando acreditas nos poderes curativos dos meus beijinhos nos teus dói-dóis. És especial porque és segura e confiante, não gostas que te manipulem nem que condicionem, porque sabes que ser livre é uma coisa que vem de dentro para fora, És especial quando corres para mim quando te apanho no final dos dias de semana e quando andas pé sobre pé para me acordares com beijos aos sábados de manhã. 

És especial quando contas estrelas nos sinais das minhas costas e ao passares-lhes cremes fazes grafismos. És especial quando achas que o quarto crescente resulta de uma mordidela de um rato na lua. És especial porque gostas de livros e de música jazz à noite. És especial porque ris de forma selecta e tens um humor precocemente sarcástico. És especial quando eu falo das saudades que tenho [todos os dias] dos meus avós e me respondes "mas agora estou cá eu", não porque os substituas mas porque agora estás, efectivamente, cá e não deixas nunca o meu coração ficar com o bolor da saudade e o caruncho da dor. És especial porque foste tu que nasceste de mim, tu e só tu, e não poderia ter sido outra criança diferente porque o meu coração é teu e o teu é meu e seremos uma da outra para sempre. Mesmo quando eu já não estiver por cá. 

 Liliana 

(Hoje o texto é da mãe.)

 

[Desafio: Três parágrafos de escrita escorrida sobre situações concretas em que sentimos o quanto especial são os nossos filhos. Repetir por cada filho que temos. Lermos-lhes em voz alta um dia à noite antes de dormir. Pedir-lhes, no fim, que enumerem 5 coisas pelas quais se sentem especiais. Registar ops 5 aspectos por eles seleccionados e descritos. ]

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Pesquisar

  Pesquisar no Blog