Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mãe da filha#5

por Rui Brasil, em 05.09.16

heart.jpeg

"Ah, essas modernices. No meu tempo os miúdos iam para a creche e não havia mariquices de correntes pedagógicas e essas coisas"

Fui para o jardim de infância com 3 anos (os mesmos que tinha a Ana).
Toda a gente chamava creche ao ensino antes da escola primária. Agora há berçário, creche e jardim de infância. E já nem se diz escola primária (ensino básico, acho que é assim que se chama agora).
Apaixonei-me pela Teresa- a minha educadora- à primeira vista. A minha mãe nunca soube nada do CV dela. Eu sei que a educadora da Ana tirou o curso na Maria Ulrich e sei que é defensora do MEM (Movimento Escola Moderna). 

Não havia farda, só um bibe verde aos quadradinhos que cada mãe mandava cortar e costurar à sua vontade, sem restrições de modelo. Na escola da Ana há bata, equipamento de ginástica de Inverno e de Verão, com o logotipo da escola. Nada pode ser personalizado porque a ideia é de que as crianças não encontrem nas roupas, marcas ou etiquetas formas de se diferenciarem e pôr de lado rituais exibicionistas. Não sei se concordo inteiramente com isto (sou pela diversidade e no Mundo real levamos com isto todos os dias) mas aceito,
Na minha creche não havia actividades extra-curriculares assim chamadas. Tínhamos ATLs a que chamávamos "tempos livres". Alguns de nós tínhamos ginástica ou ballet mas era tudo no salão paroquial ou no ginásio dos bombeiros, não havia cá mistura. Na escola da Ana há tudo mais um par de botas.
A educadora tirava-nos fotografias, revelava-as e expunha-as nas paredes em registos mensais. Não havia sites da escola, nem páginas de facebook nem espaços nos formulários da inscrição a autorizar divulgação da imagem. Na escola da Ana há isso tudo.
Na altura em que eu fui para o jardim de infância não se falava em pedofilia mas liam-se notícias de abusos sexuais a crianças n' "O Crime". Hoje este é um dos principais medo dos pais (nosso também).
Podíamos levar o cesto com pão de leite com doce e um pacotinho de leite com chocolate e vendia-se bolos na hora do recreio. Na escola da Ana o lanche é providenciado pela escola e igual para todos os meninos, com nuances para os que têm alergias ou intolerâncias alimentares. Os miúdos que andaram comigo no Jardim de Infância não tinham alergias nem intolerâncias, juro! Os tempos mudaram. 
Podíamos levar bolos de aniversário com cobertura de chocolate e recheio de doce de ovos e só comia quem queria, gostava ou podia. Na escola da Ana hoje cantou-se os parabéns a um menino e o bolo era um pão-de-ló simples, porque só esses bolos são permitidos na escola. A Ana comeu e gostou.
A minha mãe não fazia puto ideia do que tinha sido o meu almoço a não ser que eu fizesse o obséquio de decorar o que tinha comido e lho contar no final do dia. Tenho as ementas semanais da Ana todas disponíveis no site da escola. E são monitorizadas por uma nutricionista.
Talvez estejamos no tempo das mariquices. Mas já não estamos em 1986. Já posso lavar a bata da Ana na máquina de lavar e secá-la na de secar em vez de ser à mão como OMO. Posso aquecer a sua comida no microondas em vez de em banho maria. Fazer-lhe chá na chaleira elétrica. Deixá-la escolher os desenhos animados que quer ver com a TV com fibra óptica sem ter que rezar que ganhem os seus desenhos animados preferidos no "Agora Escolha".
O Mundo oferece, agora, mais opções. Mais escolhas. O Mundo está diferente e também com ele a Educação e as vivências da infância. Quero acompanhar o Mundo. Quero escolher o que sinto ser melhor para a minha filha. Escolhi uma escola que acarreta uma série de regras: com umas concordo mais do que com outras. Mas no cômputo geral é esta a escola que me parece, à priori, a que reúne um conjunto de escolhas que melhor se adequa ao nosso modelo familiar. 
Sou uma velha do Restelo em muitas coisas. Não nestas.
Nestas questões eu nunca tive um "no meu tempo isto ou aquilo".
Eu nunca tive um tempo de mãe.
Este é o meu tempo."

 

Liliana (minha mulher e mãe da minha filha)- Quadripolaridades

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Pesquisar

  Pesquisar no Blog