Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Em nome do Pai

Paternidade na ótica do utilizador.

Em nome do Pai

Paternidade na ótica do utilizador.

"Brincrescer":o workshop que não é um workshop!- diz a mãe desta casa

brincrescer.jpg

 

"Sou um bocadinho alérgica a workshops que nasçam de blogs. Primeiro porque me parece que são sempre coisas ali um bocadinho a martelo, para se rentabilizar as matérias de escrita, mas depois com conteúdos ocos e esvaziados, temas tornados temas à pressão e bloggers que não têm competências académicas, práticas ou, de facto, validadas para os minstrarem. Não tem que ver com cagança académica, juro, até porque excluo, obviamente, deste rol, workshops de culinária dados por quem dá provas de ser um cozinheiro de mão cheia, que estuda, que tem dado provas da sua competência mas wokshops dados para me ensinarem a coordenar roupas ministrados por pessoas que, por sua vez, frequentaram um workshop anterior de como coordenar roupas: tenham amor à Santa!

 

Posto isto sobre esta matéria em específico começopor avisar já que sou suspeita: sou mulher de um e a fã número 1 da outra. Este é o principal disclaimer. E agora vem a parte em que vos explico o óbvio e aqui vai:

 

O Rui- meu marido- trabalha com educação não formal desde 2013. Há quinze anos, portanto. Não é o estereotipado psicólogo de gabinete, de secretária, de "hums" e com ar bonzinho. Tem um ar divertido, até. Já fez muitas coisas diferentes ao longo do seu percurso profissional mas não houve uma única vez em que tenha ido ter com ele ao respectivo local de trabalho- e pelas minhas contas trabalhou nos quatro bairros sociais mais problemáticos do concelho onde vivemos e num dos maiores da capital- e não tenha visto crianças penduradas ao seu pescoço. O Rui adora crianças e trabalhar para e com elas.

 

Adora brincar e defende o direito universal à brincadeira como um direito básico essencial ao desenvolvimento não só emocional mas inclusivamente cognitivo e social das criancas. 

Implementou projectos de ludotecas de escola e comunitárias, desenhou projetos educativos, formou pessoal docente e não docente, trabalhou em parceria com os melhores stakeholders desta área (com sector de actividade lúdica do Instituto de Apoio à Criança- beijinhos Marta, Ana e Vera!- , com a Fundacao Aga Khan, com redes concelhias, enfim...), estudou muito, visitou projectos de impacto na área do brincar nacionais e internacionais para aprender as melhores práticas, foi gestor de equipas, fez parte de equipas e senta-se no chão a brincar todos os dias, porque acredita que “no brincar é que está o ganho”.

Considero que é o melhor brincador que conheço, quer do ponto de vista conceptual e teórico, quer do ponto de vista prático. E quando chega a casa ainda não vem cansado e torna a brincar com a nossa filha. E brinca muito. Muito e bem. 

 

A Vera, por sua vez, é a mãe que a maioria de nós gostaria de ser. Atenta, observadora, criativa e inatamente preparada ao nível de um pos doc em maternidade e tem o blog de maternidade não só mais bonito como mais verdadeiro da blogosfera. Com os três filhos tem posto em prática uma espécie de home schooling ao nível da creche e é a melhor inventora de brincadeiras e brinquedos que conheço, fazendo verdadeiras omeletes sem ovos e usando materiais orgânicos e da natureza para treinar competências de desenvolvimento cognitivo sempre embrulhadas em propostas lúdicas.  

 

No atelier "Brincrescer" juntarão está parte de conhecimento e fundamentação sobre a importância do brincar e o papel dos pais neste processo a uma componente prática que culminará na construção de um brinquedo, dinamizada pela Vera. Será durante um sábado, num espaço da loja Babyblue, a loja mais gira do Parque das Nações e, de bónus,o coffee break será confeccionado pela querida Sofia dos "Les gourmandises de Sophie". 

 

Mais razões para não perder? Não há!"

 

 

Liliana- minha mulher e autora do Quadripolaridades

 

 + informações aqui e em nomedopai@sapo.pt